quinta-feira, 18 de agosto de 2011

 

Hoje, Mineirinho de Maceió será
atração no Programa do Jô

Com espetáculo em cartaz em São Paulo e fundador da primeira escola de Dança Solta do País, comediante e coreógrafo Mineirinho de Maceió fala sobre sua história com a dança e o teatro no Programa do Jô; entrevista será exibida na noite de hoje

Alessandra Vieira


Já disseram que morrer é fácil, difícil é fazer comédia. De fato, para fazer rir é necessário um ritmo especial que não é dominado por todos. Essa cadência peculiar parece ter achado porto seguro através das caras e bocas do comediante, professor de dança e coreógrafo Mineirinho de Maceió, que nesta quinta-feira será destaque no Programa do Jô, na TV Globo.
Na bem-humorada entrevista, gravada recentemente, Mineirinho, além de falar sobre a sua escola Dança Solta, deu uma animada aula à plateia do Jô. Não é a primeira vez que o artista se apresenta em programas de repercussão nacional. Ele já se esteve no “Mais Você”, da Ana Maria Braga, e no programa da Eliana. Experiências que ele fala como tão inesquecíveis quanto importantes à repercussão do seu trabalho no País. Assim como o foi o bate-papo de madrugada com Jô, que define como o coroamento de tudo o que tem feito até agora.
“O Jô é um marco na carreira de todo profissional. Dá uma coroada na trajetória de qualquer artista, tanto pelo perfil do programa quanto por sua credibilidade no País inteiro. Fiquei muito feliz e honrado quando recebi o convite para falar sobre toda a minha trajetória até agora; minha experiência como comediante, coreógrafo e professor de dança. Dei uma aula à plateia sobre dança solta, que ficou ensandecida com esse ritmo, que, apesar de já existir desde o início dos anos 90, agora vivencia um boom”, comemora Mineirinho.  

Mineiro de alma alagoana

Natural de Minas Gerais, foi na capital das Alagoas que Sander Luiz Nunes cresceu e começou a construir sua história. Não só ele, como o artista. Foi aqui que o sóbrio Sander deu lugar ao alegre e descontraído Mineirinho de Maceió, seu nome artístico, que definitivamente adotou para deixar sempre à vista, nos palcos da vida e das artes, o amor tanto pelas suas origens mineiras como pela cidade onde se descobriu. “Minha terra-natal é Minas, mas o artista nasceu em Maceió”, costuma dizer.
 Formado pela Escola de Teatro Martins Pena, no Rio de Janeiro, o ex-administrador de empresa só assumiu de fato sua ligação com a dança ou o teatro após os seus vinte e cinco anos. De lá até aqui, são vários os trabalhos que traz na bagagem, como a participação na novela “Luz do Sol”, da TV Record, e em peças teatrais como “Ricardo III”, com direção de Antonio Pedro; “Capital Federal”, dirigida por Elza de Andrade; e “A vida como ela é”, direção de Ancelmo Vasconcelos.
Em 2007 montou a Cia. Teatral Os Fanfarrões, com o ator Raul Franco. A partir daí, produziu os espetáculos “Fanfarrões a peça”, “Fanfarrões sem concerto” e “O trem do riso”, todos com sucesso de público e crítica.
Atualmente, Mineirinho dá vida a 12 personagens em seu novo trabalho solo. “De mala e cuia no trem do riso” estreou em janeiro deste ano, em São Paulo, para levar ao palco a trajetória teatral de um ser comum que, ao se descobrir artista, resolve embarcar em uma viagem de sonhos e fantasias em um trem, onde se depara com várias figuras que passam a fazer parte de sua vida artística. O espetáculo, onde Mineirinho atua como ator e diretor, continua em cartaz até novembro.

DANÇA SOLTA – Em 1991, Mineirinho fundava, em Maceió, a primeira Escola de Dança Solta do País. Desde então, o estilo de mexer o corpo cada um do seu jeito, sem coreografias definidas nem passos marcados, vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil, de todas as idades.
 E ele conta como surgiu essa nova e animada forma de dançar. “Fui fazer um show de tango e a minha parceira, que era a atração principal, não pôde ir. Tive que criar alguma coisa. Subi no palco e convidei as pessoas do salão pra dançarem um bolero. Então, percebi que elas estavam gostando e, de repente, virou um grande carnaval. Criei a aula, ainda sem nome, e, de tanto os alunos falarem que se soltavam, o nome virou dança solta. O bom dela é que é democrática”.
Com a ideia, Mineirinho de Maceió também vem capacitando professores de dança de todo o País em Workshops para Capacitação de Professores de Dança Solta, com o objetivo de estimular cada vez mais sua disseminação. Um projeto que continua fazendo parte dos seus planos futuros. “Com esses cursos, dividido em dois módulos, temos a possibilidade de transmitir técnicas sobre esse estilo a professores de dança de todo o País. Já realizamos esses cursos no Rio e em São Paulo, e a nossa intenção é estendê-los ao Nordeste, em cidades como Recife e Maceió. O nosso foco é disseminar a filosofia da dança solta por todo o Brasil”.

(*) Em parceria com a jornalista Elô Baêta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário